Ronaldo foi o bombo da festa na “Serragem da Velha”

Serrar da velha em Rebordosa, ParedesEm Rebordosa, Paredes, centenas de pessoas saíram à rua, na passada sexta-feira à noite, para assistirem à “Serragem da Velha” que, antes de deixar “testamento” e ser queimada, percorreu oito quilómetros pelas artérias da cidade, num caixão de dez metros. É uma tradição popular com mais de 80 anos.

“A Serragem da velha” é uma manifestação carnavalesca, espontânea, que ocorre sempre antes da entrada na Quaresma, durante o período pascal. Em Rebordosa, uma das mais importantes cidades do concelho de Paredes, a tradição pagã ganhou raízes há mais de 80 anos e junta centenas de pessoas.

O corso juntou 14 carros (tractores, camionetas e automóveis) e mais de duas centenas de figurantes acompanharam a “Velha Ronaldona”, numa alusão ao futebolista Ronaldo, que se tornou no “bombo da festa” dos rebordenses, desde logo pela seguinte deixa: “Só vivia para o Facebook/ Dizem uma mãe virtual/ Fazia sexo pela Net/ Daí nasceu um menino em Portugal”.

“A Serragem da Velha é uma tradição que junta centenas de pessoas na nossa cidade e é apoiada por várias entidades, desde a Junta de Freguesia, à Promov, associação cultural de Rebordosa e a particulares. Nesta ocasião, as pessoas divertem-se e juntam-se espontaneamente ao corso”, explicou Fernando Leão, autor dos versos e das deixas.

Desde o lugar de Guimbra, de onde saiu o corso, até à Praça da Comunidade onde foi lido o testamento, largadas deixas aos políticos e queimada a “Velha Ronaldona”, uma multidão assistiu à passagem do corso.
“Optámos por focar as nossas críticas na actual crise social e ao Cristiano Ronaldo. Desta vez ficaram de fora criticas políticas caseiras porque não se justificam, tendo em conta o empenho da Junta de Freguesia e de outras entidades”, explica Fernando Leão.

No final do cortejo, os figurantes e os foliões participaram num convívio que entrou pela madrugada adentro sempre num ambiente carnavalesco ao som de bombos, foguetes e música popular portuguesa.